segunda-feira, 30 de janeiro de 2006

O que Não Cabe

Antes do novo conto (haja disposição para organizar um pouco mais aquilo que vocês lerão), uma nova poesia. Ou... chamem do que quiserem... eh eh eh!!



O que Não Cabe

As palavras que escrevo em livre poesia
não cabem no verbo,
tampouco no verso
desta pequena poesia que não cabe no mundo.

Também o cantor de folk não cabe na banda de rock
ou vice-versa.
A pesada chuva que vai cair não cabe em sua música,
assim como não cabe ficar ouvindo aquela voz no diskman.

Mas não é assim...

O mundo não cabe a mim julgar,
assim também não cabe ao mundo minha sentença.
Apesar de que insistem...

Julgam que eu caibo no chão onde piso
e é só o que me é destinado.
Mas aceito o desafio.
Só assim com minhas músicas eu fico
pronto para o grande número de sentenças
que não cabem num verso.

Estou na minha estrada.
A 61 não cabe em meu caminho
que só comporta 09 de Julho
neste mesmo momento que não caberia numa vida.

Mas eu faço a força...
até que o pacote arrebente.
E, se não arrebentar, eu que não chore pelo que já era esperado.


Porque na vida deve caber muito, muito mais do que me é oferecido.


Agora eu os deixo por um instante, para digerir esta paisagem, amigos passageiros. Beijos e abraços!!

NA MINHA VITROLA: BOB DYLAN - Outlaw Blues > On the Road Again.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2006

Um dos Vários Retratos Destes Dias

Uma notícia comum, cada vez mais comum:

http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u56868.shtml

Por isso é que não acredito num mundo cor de rosa. As angústias proliferam e a maioria se protege tentando não pensar. Qualquer dia, será um desses meninos do programa do Raul Gil...

Não me resta muito a dizer, amigos viajantes... apenas espero que ainda haja algo no mundo que compense a angústia.

XO

NA MINHA VITROLA: THE BEATLES - Lady Madonna.

sábado, 7 de janeiro de 2006

A Genialidade da Multidão

Bukowski neste trem, hoje:





The Genius of the Crowd
Charles Bukowski



There is enough treachery, hatred,

____violence,
Absurdity in the average human
____being
To supply any given army on any given
__day.
AND The Best At Murder Are Those
__Who Preach Against It.
AND The Best At Hate Are Those
__Who Preach LOVE
AND THE BEST AT WAR
--FINALLY--ARE THOSE WHO
PREACH
____PEACE

Those Who Preach GOD
__NEED God
Those Who Preach PEACE
__Do Not Have Peace.
THOSE WHO PREACH LOVE
__DO NOT HAVE LOVE
BEWARE THE PREACHERS
Beware The Knowers.

____Beware
____Those Who
____Are ALWAYS
____READING
____BOOKS

Beware Those Who Either Detest
__Poverty Or Are Proud Of It

BEWARE Those Quick To Praise
For They Need PRAISE In Return

BEWARE Those Quick To Censure:
They Are Afraid Of What They Do
Not Know

Beware Those Who Seek Constant
Crowds; They Are Nothing
Alone

____Beware
____The Average Man
____The Average Woman
____BEWARE Their Love

Their Love Is Average, Seeks
Average
But There Is Genius In Their Hatred
There Is Enough Genius In Their
Hatred To Kill You, To Kill
Anybody.

Not Waiting Solitude
Not Understanding Solitude
They Will Attempt To Destroy
Anything
That Differs
From Their Own

____Not Being Able
____To Create Art
____They Will Not
____Understand Art

They Will Consider Their Failure
As Creators
Only As A Failure
Of The World

Not Being Able To Love Fully
They Will BELIEVE Your Love
Incomplete
AND THEN THEY WILL HATE
YOU

And Their Hatred Will Be Perfect
Like A Shining Diamond
Like A Knife
Like A Mountain
LIKE A TIGER
LIKE Hemlock

____Their Finest
____ART


TRADUÇÃO:
A Genialidade da Multidão

Há bastante deslealdade, ódio,

____violência,
Absurdo no ser humano
____comum
Para suprir qualquer exército em qualquer
__dia.
E O Melhor No Assassinato São Aqueles
__Que Pregam Contra Ele.
E O Melhor No Ódio São Aqueles
__Que Pregam AMOR
E O MELHOR NA GUERRA
--FINALMENTE--SÃO AQUELES QUE
PREGAM
____PAZ

Aqueles Que Pregam DEUS
__PRECISAM de Deus
Aqueles Que Pregam PAZ
__Não têm paz.
AQUELES QUE PREGAM AMOR
__NÃO TÊM AMOR
CUIDADO COM OS PREGADORES
Cuidados com os Sabedores.

____Cuidado
____Com Aqueles Que
____Estão SEMPRE
____LENDO
____LIVROS

Cuidado Com Aqueles Que Detestam
__A Pobreza Ou Que São Orgulhosos Dela

CUIDADO Com Aqueles Que Elogiam Fácil
Porque Eles Precisam De ELOGIOS De Volta

CUIDADO Com Aqueles Que Censuram Fácil:
Eles Têm Medo Daquilo Que
Não Conhecem

Cuidado Com Aqueles Que Procuram Constantes
Multidões; Eles Não São Nada
Sozinhos

____Cuidado
____Com O Homem Comum
____Com A Mulher Comum
____CUIDADO Com O Amor Deles

O Amor Deles É Comum, Procura
O Comum
Mas Há Genialidade Em Seu Ódio
Há Bastante Genialidade Em Seu
Ódio Para Matar Você, Para Matar
Qualquer Um.

Sem Esperar Solidão
Sem Entender Solidão
Eles Tentarão Destruir
Qualquer Coisa
Que Seja Diferente
Deles Mesmos

____Incapazes
____De Criar Arte
____Eles Não Irão
____Compreender Arte

Eles Vão Considerar Sua Falha
Como Criadores
Apenas Como Uma Falha
Do Mundo

Incapazes De Amar Completamente
Eles Vão ACREDITAR Que Seu Amor É
Incompleto
E ELES VÃO ODIAR
VOCÊ

E Seu Ódio Será Perfeito
Como Um Diamante Brilhante
Como Uma Faca
Como Uma Montanha
COMO UM TIGRE
COMO Cicuta

____Sua Mais Fina
____ARTE

Após alguns problemas, aqui estão texto original e tradução. Regozijem-se com este velho safado!!

NA MINHA VITROLA: ELLIOTT SMITH - Sticks and Stones.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2006

O que Pode Ser Dito sobre Alguém Estático num Canto?

Breve discurso, amigos viajantes.

_

O que Pode Ser Dito sobre

Alguém Estático num Canto?

Sabe qual é o seu problema?

Você nunca se adapta, nunca está em algum momento. Ausência. É isso. Você é uma ausência. Nunca chega a ser muito mais que isso, no tempo necessário.

Então se submete a algo. Um algo que não poderia, não deveria ser maior que você. Tudo isso é um grande engano. Por isso, estranha-se com o tempo, mas não só com este – há também problemas com o espaço. Você é sempre fora de tempo e espaço. Mas por quê?

Tem uma família, mas não faz parte dela. É tudo muito entediante, não? As velhas discussões sobre razões individuais. As preocupações com as compras de supermercado, feira, loja de um real, sementes para os pássaros, leite, café, bananas e batatas. O vizinho que estacionou o carro na frente de casa, sobre a guia. Os cães que defecam na sua porta. O jogo ruim de futebol. Pouco ou nada lhe interessa. Então sai.

Sai para o trabalho, sai para encontrar os amigos, alienados como você. Estes mesmos que você adora. No entanto, pouco demonstra. E quando demonstra, é vazio, por que algo lhe falta, outro algo lhe cansa. Nunca, nunca suficiente. O olhar é sem significado, aí. Um olhar que nada diz não merece ser chamado de olhar. E há sempre as pessoas nas ruas. Você desvia olhares e corpo, para não manter contato. Tudo isso é medo, tão somente medo?

Quando está na rua, aonde quer chegar? Há um lugar específico onde quer realmente estar? Não, você não se encontra. Um estranho entre os estranhos. Um estranho entre os velhos conhecidos e amigos. Então, acende um cigarro para espantar o assombro. Em lugar de vida, você tem o susto. Em lugar de amor, você tem o horror.

Quantas vezes você já foi rei e entregou o trono? Quantas vezes foi mera face entre outras faces anônimas? E você, então, desaparecia, justamente quando deveria sobressair-se. Mas por ser tão assim, as pessoas perdem o interesse assim que passa o primeiro segundo. Isso quando algum interesse é despertado. Não, você não tem face. Ou a sua é a da morte. Em vida.

Seu isolamento é inaceitável, embora nada acrescente de positivo ou o contrário a tudo aquilo que se esperava de qualquer pessoa. Perturba. E, por isso, é preciso fingir que você não existe para que aqueles que estão ao seu lado possam viver em paz. Seu isolamento implica guerra, e isso nunca é desejado. Já há guerra demais no cotidiano dos lares, empresas, coletivos, bares, danceterias e escritórios do governo.

Esta não é uma condenação, porque você já se havia condenado no momento de cada escolha feita. Se é que houve escolha, num nível consciente.

Você é maçante. O fim. Estas palavras jamais deveriam existir. São inúteis para você ou para qualquer outro. Seu problema não é o tempo, mais. É exatamente o de não existir conosco, você que está aquém do tempo e do espaço.

Individualistas não são bem-vindos. Combinemos o seguinte: fique no seu mundo. Nós até faremos um canto interessante para você e esses outros. Mas, caso você invada o nosso espaço, vamos massacrá-lo.


Bom, é isso, amigos. Depois de lerem, opinem. Beijos e abraços.

Cocoon
. Ilustração da pintora australiana Indra Geidans.
Em
http://www.artplace.com.au/exhibsprevious/Facade-Geidans.html.


NA MINHA VITROLA: STEPHEN MALKMUS & THE JICKS - Animal Midnight > Dark Wave.