terça-feira, 21 de março de 2006

Outra Vez o Louco Ataca

The Enraged Musician, de William Hogarth, 1741.

Porque viver não é necessário, é imprescindível. Porque as mazelas não podem ser mais fortes do que ser. Porque isto é o que sou. Porque isto é o que vocês esperam de mim. Porque é isso que eu quero de mim. Enfim...

Outra Vez o Louco Ataca

das ruínas do último fogo
ele surge, roto mas vivo
quando ninguém mais crê
o bardo e suas canções

pelo ar, pela terra
em busca dos bares
bebe o bardo à loucura
de existir e das emoções

tudo ao redor reage
seus amigos o amparam
e o restante faz cara ruim
a seu grito de acordar

bom que haja o lugar
e o tempo para o prazer
de ser o que se é
e cantar o que há

não ignora a afronta
do inimigo mortal e sutil
que deseja a queda
do divino que há em sua voz

ao algoz não valerá
a lança ou o machado
quando um se cala
em outro tempo levanta

isso, aprende o jogo
e se cala no instante
para no seguinte
ter força o seu canto

o bardo jamais morre
sua palavra também
a não ser que a memória
venha a traí-lo

mas que importa?
enquanto houver vida
enquanto houver vontade
ele confrontará um destino


Sim, porque isto é o que sou. E amo o que sou. E porque me acompanham, eu os amo também. Beijos e abraços!! (E porrada naqueles que disserem que esta declaração é piegas... ah ah ah!!)

NA MINHA VITROLA: ELLIOTT SMITH - New Disaster > I Don't Think I'm Ever Gonna Figure Out.

2 comentários:

Ale disse...

passei para viajar um pouco e deparo com mais um texto maravilhoso...
biseaus irmão urso!

ALE disse...

e estarei lá pra ver sua imortalidade meu hermanito!