terça-feira, 28 de novembro de 2006

Mal(l)o(r)ca

Porque estou longe demais...


Mal(l)o(r)ca

meu planeta, meu bairro, esta ilusão
minha mal(l)o(r)ca saudosa de sempre
nem conheço mais sua gente
conseguirei resgatar da memória
o que foi e o que não foi?
posso estar em qualquer lugar
na buenos aires de borges, de cortázar
(que já é outra)... que azar ou sorte!
e é voltando ao meu lar que me sinto bem

já cortejei as memórias, estas que fogem
um dia desses quis compor a mazurca
na mediterrânea e longínqua terra turca
assim como você é e eu estou
não posso mensurar a glória
quando já passa o dia e a noite engana
nos balcões dos bares vendo os velhinhos
a jogar dominó, e que seja sorte ou azar
mas é com a cabeça erguida depois da aventura que volto

itaquera, minha guerra, esta terra me engole
queria elevá-la a outro patamar
ou largá-la ao nível do mar
você não se importa e me bate a porta
como no consulado da américa, por medo ou rancor
sei que nunca aceitou e tomou tudo por traição
quando o que mais quero é respirar teus ares
deitado na rede, um vinícius em itapuã
itaquera, não se assuste, eu já volto para enfim lembrar

Sempre quis compor uma poesia sobre o bairro em que cresci e vivo. Eu só tinha que fazer de uma forma que não soasse muito ufanista ou boba. Mas agora, por estar tão perto, não consigo julgar. Espero que tenha conseguido alcançar meu intento. Pois que julguem vocês... eh eh eh! Beijos e abraços, amigos!

NA MINHA VITROLA: GOTAN PROJECT - Notas.

Um comentário:

sacanitas disse...

oi ale :)


nem ficou ufanista, muito menos boba! :)

ficou simples...
e a beleza eh exatamente essa! acho lindo d+ saber escrever poesias!

um beijaoooo
:*
.
.
.