quarta-feira, 22 de junho de 2005

De Solidão e Pingos

Olá, senhores e senhoras, viajantes deste trem feito de palavras. Aqui eu lhes trago uma nova paisagem a fixar o olhar. Enjoy it:

De Solidão e Pingos

É necessário escrever...
Sim, faz parte de uma benção e uma maldição
Quando se é condenado a andar sozinho
Sob o guarda-chuva quando as luzes se fazem altas
E os pingos se desfazem no chão
Não, não é tão ruim estar só
Apenas não se tem com quem dividir
Qualquer coisa que seja
Mas quando se tem as palavras
Um pode se considerar totalmente só?
Agora que um já compreende tudo
Deve resignar-se e buscar novas idéias para novas histórias
O tempo corre novamente, nem as nuvens ficam paradas
Dias de "vá em frente, tente sua sorte, filho"
Há sortes e sortes, pai
Todos devem ir atrás da sua
Às vezes sem ter como dividi-la
Sem ter como somá-la
Tudo que um quer, hoje
É ter sua ferida cicatrizada
Depois de terem-lhe tirado os restos daquela parte apodrecida
E é no mínimo incômodo, quem sabe ridículo
Manter o pensamento em algo que já passou
Porque é necessário escrever, é necessário viver
Alguma nova história a cada dia
Que venham as histórias de dias frios e sem sol

Meus caros amigos, aqui está gelado, gelado... só eu mesmo pra ter idéias e postá-las logo nessa manhã em que, se não fosse o trabalho, eu ficaria na cama mesmo. Eh eh eh!! Bom, vejamos o que toca...

Na Minha Vitrola: Antony and the Johnsons - Hope There's Someone > My Lady Story.

Arrivederci, bambini!! Beijos e abraços!! A gente se encontra uma hora dessas, para uma nova viagem!!

Um comentário:

Anônimo disse...

That's a great story. Waiting for more. » » »