quinta-feira, 18 de janeiro de 2007

Quatro breves textos sobre prepotência e desolação

Um quarteto de pequenas poesias. Sem pontos, sem maiúsculas, algumas reticências e exceções às exclamações e interrogações. Pequenas poesias sobre o nada, ou sobre as angústias de um nada perante tudo (todo o nada?) que o cerca. Haverá outra forma de existir? Sim, camarada, só a palavra poderá nos salvar!

Enquanto isso, haverá a prepotência de uns e a desolação de um bar vazio, as razões pelas quais estas palavras vieram a existir.

Senhor

hitler
lênin
médici
mussolini
stalin
salazar
pinochet
napoleão... todos mortos!

fidel... quase lá...

bush, com poder, mas quem não o queria morto?
poucos, não?

e eu, que sou um nada? que posso querer com o poder, este estado tão efêmero?
quase nada, que é o que me convém

nunca fui um senhor, nem quis ser

poder?
apenas o suficiente para ser o senhor do meu nada


Questionamentos sobre a Arte de Esquivar-se
_
o que você faz?
como ignora as pedras que lhe são atiradas?
ainda que a esmo, algumas
_
por que finge não sentir dor?
tanto finge que, por fim, não sente
_
você consegue... é um maestro do insensível
exatamente da forma que os dias pedem
_
como é que você faz?
_
me ensina?
ainda que esta seja a morte da poesia...
_
Proteção
_
gosto um pouco da escuridão
é esta que me protege quando estou fraco
_
mas gosto também dos dias de sol
destes raios que me recompõem
_
Com Alma?
_
tomo lentamente minha cerveja
enquanto o bar aos poucos se esvazia
cedo demais...
_
é que sua alma foi embora
as almas de todo o mundo, aniquiladas
_
nenhum outro lugar pra ir
ninguém pra me acompanhar
também, não quero alguém sem alma, se é que alguém sem alma é um alguém, o que duvido
_
insisto!
toco este pequeno pedaço de morte e tento me sentir relativamente bem
_
Beijos e abraços, amigos!
_
NA MINHA VITROLA: LEGIÃO URBANA - L'Avventura.

3 comentários:

Julius disse...

Molt bo! - diriam meus amigos catalães!

Rafael Mafra disse...

Ei, cara!
Posso compartilhar algumas dessas sensações?
Quer dizer, já é tarde pra pedir permissão.

Creio que nos enocotramos hoje, talvez. Daí conversamos um pouco sobre os livros!

Abraços!

Anônimo disse...

ale :)

agoraaaaaaaa vc ta no meu reader. nao perco mais nada aqui!

volto mais tarde pra comentar os textos!

beijos